500 anos da viagem de Circum-navegação de Fernão de Magalhães celebrados a bordo do MSC Magnifica

13/01/2020
Anunciado princípio de acordo que associa a MSC Cruzeiros ao Programa de Comemorações do V Centenário da Viagem de Circum-navegação de Fernão de Magalhães,
prevendo iniciativas à escala global, desde logo em torno da valorização e sustentabilidade do mar/oceano 

A MSC Cruzeiros e a Estrutura de Missão V Centenário Circum-navegação de Fernão de Magalhães apresentaram ontem um princípio de acordo, numa celebração informal a bordo do MSC Magnifica, em Lisboa, num evento para cerca de 50 convidados, incluindo o Presidente da Estrutura de Missão, José Marques.

O navio, que está a fazer o itinerário MSC World Cruise 2020 da MSC Cruzeiros, foi palco do momento simbólico para assinalar os 500 anos da Viagem de Circum-navegação de Fernão de Magalhães. Depois da escala no Porto de Lisboa, o navio da maior companhia privada de cruzeiros do Mundo, líder de mercado em Portugal, fará escala no Funchal amanhã, dia 11 de Janeiro, prosseguindo depois viagem num itinerário à volta do mundo ao longo de 117 dias, que visitará 43 destinos e 23 países.

Foi precisamente com a intenção de ‘de dar a volta ao mundo’, que partiu há 500 anos a primeira viagem de circum-navegação, comandada pelo navegador Fernão de Magalhães, que nos deixou como legado um património verdadeiramente global, um capital simbólico e intelectual de valor universal, que se mantém vivo ainda hoje em inúmeros acontecimentos ao largo da Rota Magalhânica.

Celebrar, hoje, a Viagem de Magalhães, desafia-nos a contribuir para a construção de um mundo globalmente conectado e sustentável em termos ambientais, sociais, económicos e culturais, pilares que fazem também parte da história e do compromisso da MSC Cruzeiros.

Perante os cerca de 50 convidados a bordo do MSC Magnifica, Eduardo Cabrita, Director Geral da MSC Cruzeiros em Portugal, reconheceu a “importância histórica da Viagem de Magalhães para a construção do mundo moderno, mais conectado, mais intercultural e mais consciente da sua geografia”.

O acordo celebrado associa a MSC Cruzeiros ao programa de comemorações do V Centenário da Viagem de Circum-navegação, no qual a “MSC Cruzeiros se identifica plenamente com os objectivos promovidos pela Estrutura de Missão”, entre os quais a valorização e sustentabilidade do mar/oceano, “assumindo o compromisso de colaborar com iniciativas que à escala global tenham como objectivo a produção de conhecimento e acções de sensibilização sobre esta temática”, conforme destacou Eduardo Cabrita.

De recordar que preservar e proteger o meio em que opera é um dos compromissos de longa data da MSC Cruzeiros, sendo a primeira grande companhia de cruzeiros no mundo a operar com carbono neutro já a partir deste mês, compensando todas as emissões de CO2 da sua frota com uma combinação de projectos de compensação de carbono desenvolvidos de acordo com os mais altos padrões das principais entidades internacionais.

A Estrutura de Missão das Comemorações tem vindo a desenvolver colaborações com entidades, públicas e privadas, nacionais e internacionais que, interessadas em associar-se às comemorações, partilham esta visão universalista e humanista do mundo, valorizando a sustentabilidade do planeta e dos oceanos, valores transversais a todo o programa.

“É função da Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Primeira Circum-navegação articular um vasto conjunto de iniciativas públicas, de nível local, regional e internacional, desde a educação à ciência, da cultura à coesão territorial, da sustentabilidade ambiental à promoção do turismo e da economia. É também função da Estrutura de Missão estimular a participação activa da sociedade civil e dos agentes privados, nomeadamente do meio empresarial. Assim, é com particular satisfação que sinalizamos a iniciativa da MSC Cruzeiros em associar-se às comemorações do V Centenário da Viagem de Magalhães, assumindo uma convergência com a visão que temos para este projeto: contribuir para um mundo mais conectado e coeso, valorizando a dimensão humanista e intercultural do projecto e assumindo uma especial orientação para a sustentabilidade dos oceanos como recurso insubstituível para a preservação da vida humana”, afirmou José Marques, Presidente da Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-navegação de Fernão de Magalhães.